Arquivo mensal: junho 2009

Breaking Bad e a Segunda Temporada.

BreakingBadPanelPic_1231455511

No meu antigo blog, eu havia feito um post sobre Breaking Bad, falando sobre como a AMC tinha acertado mais uma vez (depois de Mad Men), e nesse post, minhas primeiras impressões sobre a série foram que ela era muito mais do que a versão dramática de Weeds, e posso dizer, após essa segunda temporada, que eu estava certo.

Ao que tudo indicava com a primeira temporada, Breaking Bad seria uma série curta, pois assumi que seu número de temporada, seria equivalente ao tempo de vida de Walt, mas nesse caso, eu me enganei. Pois câncer é o tipo de doença que nunca cumpre o prazo determinado, pois ele pode tanto avançar rapidamente, como reduzir na mesma velocidade, e foi isso o que aconteceu. Não foi um Deus Ex-Machina, foi simplesmente o imprevisto acontecendo, e com isso a série abriu um leque incrível de possibilidades, deixando impossível prever quantas temporadas ela pode ter.

Outra coisa que mudou da primeira para a segunda temporada, foi o modo como os roteiros trabalhavam, antes era tudo centrado em Walt, sua doença e uma explicação do porque ele traficava, agora tudo isso mudou, e tudo gira em torno do que os personagens querem, e não no que eles são obrigados a fazer. Vince Gilligan criou uma temporada muito bem amarrada, onde todos os atos têm suas conseqüências, boas ou ruins.

Os roteiros criaram situações em que os personagens saíram de suas cascas e finalmente tiveram a chance de serem humanos, e não marionetes nas mãos dos roteiristas, que a cada episódio tratam os personagens de uma maneira diferente.

E além dos personagens, o enredo da história evoluiu, pois não é mais apenas um homem com câncer que resolve produzir drogas para ajudar sua família, pois com o desenvolvimento do personagem principal, a história por trás de tudo também evoluiu, e assim vimos Walt ter o domínio naquilo que faz e onde ele faz.

Talvez toda a criatividade usada nessa segunda temporada, possa ser um aviso que na terceira tudo volte a ser como era antes, mas não quero acreditar nessa hipótese, pois segundo Gilligan a greve dos roteiristas o ajudou a pensar “fora da caixa” e ver a quantidade de possibilidades que a série tem depois de ter tomado esse novo rumo. Então, só nos resta esperar até 2010 (provavelmente), e ver até onde essas possibilidades vão.

Anúncios