Arquivos do Blog

PRÊMIO OPERÁRIO: SÉRIE REVELAÇÃO

Raising Hope (Fox)

É difícil uma comédia, hoje em dia, manter a regularidade com uma premissa dessas. Todo a história familiar e as pessoas ao redor, só Arrested Development conseguiu isso, e agora parece que Raising Hope vai seguir a mesma linha.

Outros Indicados:

Game of Thrones (HBO)
Shameless (Showtime)
Louie (FX)
Terriers (FX)
Sherlock (BBC)

Vencedores anteriores: 2009 – True Blood (HBO), 2010 – Community (NBC).

Roteiro Drama

“The Gypsy and the Hobo” – Mad Men (Escrito por: Marti Noxon, Cathryn Humphris & Matthew Weiner)

O tão esperado “Whitecaps” de Mad Men não poderia ter sido diferente. Uma abordagem mais sutil do que o episódio da série dos mafiosos, porém tão bem escrita quanto.

“Don: I can explain.
Betty: I know you can. You’re a gifted storyteller.”

Outros Indicados:

Guy Walks into an Advertising Agency (Mad Men)
I Will Rise Up (True Blood)
Shut the Door. Have a Seat (Mad Men)
One Minute (Breaking Bad)
Full Measure (Breaking Bad)

Vencedores Anteriores: 2008 – 5-G (Mad Men), 2009 – Peekaboo (Breaking Bad)

Prêmio Operário: Atriz Convidada (Drama)

Martha Plimpton (Fringe)

Com apenas um episódio Martha Plimpton deixou sua marca em Fringe, como uma policial apaixonada pela sua profissão, mas também pelos seus companheiros. O modo como ela foi encurralada em toda a loucura de Fringe, e como conseguiu sair de tudo isso foi fantástico.

Outras Indicadas:

Allison Janey (Lost)
Sarah Paulson (Grey’s Anatomy)
Amy Acker (Dollhouse)
Evan Rachel Wood (True Blood)
Mary McDonnell (The Closer)

Vencedoras Anteriores: 2008 – Mare Winningham (Boston Legal), 2009 – CCH Pounder (The No1 Ladies’ Detective Agency)

Prêmio Operário: Direção (Drama)

Mad Men – “Guy Walks Into An Advertising Agency” (Dir.: Lesli Linka Gallter)

Lesli Linka Glatter conseguiu montar uma sequencia de cenas incríveis nesse episódio, desde a escolha correta de carregar o melodrama com o evento bizarro no escritório, até a exposição contida nos rostos dos atores em momentos de maior fragilidade.

Outros Indicados:

True Blood (“Timebomb”)
Breaking Bad (“One Minute”)
Lie to Me (“Grievous Bodily Harm”)
Grey’s Anatomy (“I Saw What I Saw”)
Lost (“The End”)

Vencedores Anteriores: 2008 – Breaking Bad (“Pilot”), 2009 – The No 1 Ladies’ Detective Agency (“Pilot”)

Prêmio Operário: Atriz Drama

ATRIZ DRAMA:

maJanuary Jones em “Mad Men”

Talvez a escolha mais óbvia de todas as categorias, principalmente para quem conhece meu gosto e também por causa do banner do blog, mas não poderia ser diferente.
A segunda temporada de Mad Men foi extremamente focada no grupo feminino de personagens, porém, Betty, a personagem de January Jones, foi a que mais cresceu e se impôs durante a maioria dos episódios, indo de casos mais sutis como o primeiro episódio da temporada até chegar a uma força a ser reconhecida em episódios como “A Night to Remember” e “Six Month Leave”.

Outras Indicadas:

Kyra Sedgwick (The Closer)
Jill Scott (The No 1 Ladies’ Detective Agency)
Holly Hunter (Saving Grace)
Connie Britton (Friday Night Lights)
Anna Paquin (True Blood)

Vencedoras Anteriores: 2007 – Mary McDonnell (Battlestar Galactica), 2008 – Kyra Sedgwick (The Closer)

Review: The Vampire Diaries (“Pilot”)

bscap0031
Os vampiros voltaram a ser moda. Em qualquer livraria é possível ver livros sobre o assunto, a lista de filmes sobre o tema está sempre aumentando e agora as séries também estão dedicando um espaço para eles.
Como mito, os vampiros podem ser tratados pelos autores, criadores das séries ou diretores dos filmes, como eles bem entenderem, mas nem todos se sentem bem com isso. Basta ver a reação do público aos vampiros da Stephenie Meyer, e por conseqüência do filme Crepúsculo.
Porém, o grande problema não é a infestação de vampiros na mídia, nem a distorção do mito, mas sim a falta de qualidade do que está sendo lançado.
True Blood estreou e com o nome de Alan Ball como criador, e sendo adaptado de uma série escrita por Charlaine Harris, estava na cara que qualidade era algo que não faltar na série, e realmente não falta. True Blood é uma das melhores séries no ar atualmente, e vai na onda dessa nova moda. Por isso, como disse, o que importa é a qualidade do que está sendo feito.

(com spoilers do episódio piloto)
Leia o resto deste post

Prêmio Operário: Roteiro (Drama)

ROTEIRO DRAMA:

peekaboo“Peekaboo” escrito por J. Roberts e Vince Gilligan (Breaking Bad)

É um episódio que trabalha com contrastes e quebra de estereótipos. O seqüestrador é absurdamente mais humano e perdoável, do que os reféns. O seqüestrador é o único que percebe como o uso das drogas guia as pessoas até o “inferno”, arrastando todos a sua volta, principalmente crianças.
Por outro lado, vemos o protagonista destruir uma teia de mentiras, sendo absurdamente antipático e cruel, para no fim, remontar um esquema frágil de desculpas, que de jeito nenhum faz com as pessoas se identifique com isso, porém o roteiro leva essa situação a um patamar mais elevado, quando não se preocupa mais com a ética e o nível de moral, mas sim apenas com os personagens, sendo eles simpáticos (seqüestrador) ou não (protagonista).

Outros Indicados:

Power of Attorney (The Closer)
Underdogs (Friday Night Lights)
A Night to Remember (Mad Men)
Meditations in an Emergency (Mad Men)
I Don’t Wanna Know (True Blood)

Vencedores Anteriores: 2007 – Through the Looking Glass (Lost), 2008 – 5-G (Mad Men)

Prêmio Operário: Ator Convidado (Drama)

ATOR CONVIDADO (DRAMA):

bscap0019Stephen Root como Eddie em “True Blood”

Stephen Root interpreta em True Blood um vampiro desesperado por companhia, e para não ficar sozinho é capaz de tudo, até dar seu próprio sangue. Root consegue aqui pegar uma figura que tende a cair nas armadilhas do bem/mal e criar um personagem absolutamente carismático, criando um laço grande com os telespectadores, e isso é bem visível quando algo doentio acontece com ele.

Outros Indicados:

Alan Tudyk (Dollhouse)
Eric Stoltz (Grey’s Anatomy)
Gaius Charles (Friday Night Lights)
Jimmy Smits (Dexter)
Billy Burke (The Closer)

Vencedores Anteriores: 2007 – Christian Clemenson (Boston Legal), 2008 – Glynn Turman (In Treatment).

Prêmio Operário: Atriz Convidada (Drama)

ATRIZ CONVIDADA (DRAMA):

bscap0024CCH POUNDER como Andrea Curtin em “The No 1 Ladies’ Detective Agency”

Quem me conhece sabe como valorizo muito mais uma atuação sutil do que àquelas que apelam para o explícito como modo de expressar as opções. Pois, nada melhor do que alguém que sabe usar os olhos, as expressões do rosto e uma linguagem corporal para demonstrar o que está sentindo. E é isso que CCH Pounder faz em sua participação nessa série, como uma mãe em busca do filho perdido.

Outras Indicadas:

Lizzy Caplan (True Blood)
Lois Smith (True Blood)
Adina Porter (True Blood)
Christina Ricci (Saving Grace)
Melinda McGraw (Mad Men)

Vencedoras Anteriores: 2007 – Kate Burton (Grey’s Anatomy), 2008 – Mare Winningham (Boston Legal).

Prêmio Operário: Coletânea

COLETÂNEA:

being-humanBeing Human (BBC3)

É ums série teen em seu próprio estilo, quase uma versão sobrenatural do estilo de Friday Night Lights, claro que com várias ressalvas. De qualquer forma nenhuma série teve uma coleção de músicas tão boa em seus episódios. A mistura de um mundo sobrenatural e por vezes arcaico, com mpusica contemporânea foi o que fez a série realmente se destacar, pois não usaram a música como um plano de fundo, mas sim como um modo de caracterizar os personagens.
Na trilha sonora: Johnny Cash, Supergrass, Duffy, The Smiths, Muse, Echo and the Bunnymen, Maximo Park, Arctic Monkeys, etc.

Outros Indicados:

Grey’s Anatomy (ABC)
True Blood (HBO)
Flight of the Conchords (HBO)
Chuck (NBC)
Friday Night Lights (DirecTV/NBC)

Vencedores Anteriores: 2007 – Weeds (Showtime), 2008 – Grey’s Anatomy (ABC).